[BOOK REVIEW] MADAME BOVARY POR GUSTAVE FLAUBERT

| |

Sinopse: Para escapar a monotonia do casamento e da vida provinciana, a sonhadora Emma Bovary se perde em idealismos, amantes e dividas. Ao narrar a decadência dessa mulher, e também da sociedade burguesa, Flaubert nos brinda com o romance moderno por excelência.


Alguns escritores têm o grande talento de escrever livros que mesmo depois de dezenas, ou até mesmo séculos, conseguem se manter interessantes e relevantes, essa descrição pode muito bem ser aplicada ao polêmico Madame Bovary de Gustave Flaubert.
Logo quando peguei o livro e comecei a leitura fui surpreendido (uma ótima surpresa): o livro é muito mais do que só uma mulher que trai o esposo. Cheio de críticas a sociedade da época e repleto de histórias paralelas, Madame Bovary consegue recriar todo o mundo peculiar da França do século XIX.

“Desejava um filho; ele seria forte e moreno e se chamaria Georges; e a ideia de ter um filho homem era como a esperança da compensação de todas as suas impotências passadas. Um homem pelo menos é livre; pode percorrer as paixões e os países, atravessar os obstáculos, agarrar a mais longínqua felicidade. Mas a mulher é continuamente impedida. Inerte e flexível, ao mesmo tempo tem contra si a languidez da carne com as dependências da lei. Sua vontade, como o véu de um chapéu preso por uma fita, palpita ao sabor de todos os ventos, há sempre algum desejo que arrasta, alguma conveniência que retém.”


Como o título conta, o livro acompanha a jovem e “inocente” Emma Bovary, acompanhando sua trajetória ao sair da casa dos pais em direção ao casamento com um homem que a deveria fazer feliz. Somos introduzidos então ao que era ser uma mulher no século XIX, enquanto os homens trabalhavam e podiam viver suas aventuras, a mulher era “presa” em casa e condenada ao tédio profundo. Ao passar das páginas, fica completamente compreensível o motivo que Emma fazer o que faz, por mais que podemos condenar moralmente suas atitudes.
Por mais que a personagem não se enquadre no que uma personagem feminista deve ser, o sentimento representado pela mesma: a vontade de ser livre e poder fazer as próprias escolhas e a inconformidade com o fato de ser obrigada a uma vida de tédio somente por ser uma mulher, é o espírito do que mais tarde se tornaria o movimento feminista.

“O amor, pensava, deveria chegar de repente com grande estrondo e fulgurações – furacão dos céus que cai sobre a vida, transtorna-a, arranca as vontades como folhas e arrasta para o abismo o coração inteiro.”


A escrita do autor é apaixonante, ele consegue imergir o leitor e o transportar completamente para outra época, os personagens são apaixonantes em todas as suas imperfeições. Todos esses componentes juntos fazem de Madame Bovary um clássico de leitura obrigatória, uma história viciante sobre amor e ambição.

NOTA: 5/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário



ÚLTIMAS RESENHAS