[MOVIE REVIEW] WARCRAFT: O PRIMEIRO ENCONTRO DE DOIS MUNDOS

| |

Sinopse: A região de Azeroth sempre viveu em paz, até a chegada dos guerreiros Orc. Com a abertura de um portal, eles puderam chegar à nova Terra com a intenção de destruir o povo inimigo. Cada lado da batalha possui um grande herói, e os dois travam uma disputa pessoal, colocando em risco seu povo, sua família e todas as pessoas que amam.


Adaptações de video games são as mais polêmicas do cinema, de todas as lançadas até o momento, são muito poucas que conseguem ser bem-sucedidas, infelizmente Warcraft não é uma delas, ao tentar dar passos muito maiores que as pernas o filme acaba sendo apenas um espetáculo de CGI sem nada de muito interessante.
A  maior parte dos problemas de Warcraft vem do roteiro, cheio de furos e com personagens rasos, a história se desenvolve com dificuldade na tela, muitas referências não são explicadas, muitos personagens aparecem e desaparecem sem ter uma explicação do que ou quem são, o universo não é em nenhum momento explicado, várias espécies de seres aparecem sem que sejam introduzidos o que faz com que quem assiste não consiga entender o que se passa em vários momentos, e seja obrigado e intuir o que é tudo que vê.


Se o roteiro não é bom, não tem atuação que o salve, vemos alguns atores até visivelmente empolgados com o papel, mas prejudicados imensamente pela falta de uma boa base para desenvolver o personagem, e os monstros em CGI são visualmente bonitos, mas quando o roteiro tenta emocionar o expectador com as criaturas falha miseravelmente.
A falta de uma supervisão no filme foi tanta, que foram incluídos vários plots para filmes vindouros da “franquia”, que nem sequer tinha (ou tem) um segundo filme confirmado. E é por isso que o filme fracassa, ao invés de tentar começar com algo menor para depois expandir, como a maioria das franquias, Warcraft tenta ser um filme de introdução mas já vai jogando tantas informações em quem assiste sem ter o cuidado de explicar tais informações, coisa necessária já que boa parte do público que vai ver (ou viu) o filme nunca jogou o jogo, que faz com que o expectador fique perdido.
O que resta de bom no filme? Bem, o CGI foi muito bem aplicado, as cenas de ação são muito bem coreografadas, e só. Mas apenas cenas de ação não seguram o filme que desmorona e acaba sendo um fiasco vergonhoso de assistir.

NOTA: 1/5

Nenhum comentário:

Postar um comentário



ÚLTIMAS RESENHAS