[BOOK REVIEW] A MULHER SILENCIOSA POR A. S. A. HARRISON

| |

Sinopse: O casamento de Jodi e Todd está em crise. Há muita coisa em jogo incluindo a vida abastada que levam em um belo apartamento de frente para o lado em Chicago, enquanto ela, a assassina, e ele, a vítima, se aproximam miseravelmente do momento crucial. Ele é um adúltero inveterado. Ela vive e respira negação. Ele habita um mundo dúbio. Ela gosta de dar o troco. Ele decide jogar para valer. Ela não tem mais nada a perder.


A primeira coisa que você vê quando abre a edição da Intrínseca de A Mulher Invisível, são vários trechos de críticas do livro, dentre elas muitos ressaltam a semelhança com o Garota Exemplar de Gillian Flynn, e até comparam os dois, dentre eles um chama atenção: “Fique esperta, Garota Exemplar!”, retirada das páginas do USA Today. Bem, se isso é o mais próximo de desbancar o sucesso de Flynn, ela pode descansar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente sem se preocupar.

“As pessoas vivem suas vidas, expressam-se e buscam satisfação a sua maneira e a seu tempo. Cometerão erros, farão julgamentos equivocados, serão inoportunas, seguirão caminhos errados, desenvolverão hábitos prejudiciais e sairão pela tangente.”


Os personagens criados pela canadense A.S.A. Harrison são muito bem criados, e interessantes, a autora consegue criar um ambiente e personagens extremamente realistas, sendo bem desenvolvidos através das páginas. E é triste dizer que esse é meu único elogio ao livro.
Um dos pontos negativos é como a autora entrega o final logo na segunda página do livro. O fato de que a protagonista matará (ou melhor tentar matar) o esposo é algo que já é dito de cara na segunda página, estragando qualquer elemento surpresa da obra que era para ser um thriller.

“O que ele entende é que a vida é sofrida, não tem como não ser, porque na vida há de tudo. A vida é um mosaico de tudo, e as arestas não são aparadas. No mosaico da vida, os elementos se sobrepõem, por que nada é de uma só maneira.”


O maior problema do livro está no modo como a autora escreve dezenas de cenas e diálogos que não levam a lugar nenhum e nem acrescentam nada aos personagens, capítulos inteiros completamente descartáveis, que mesmo se você pulasse sem querer não interferiria em nada na história.
A primeira parte, que dura até a página 215 (lembrando que o livro tem 254 páginas), é 80% encheção de linguiça, o sentimento de que você está sendo enrolado é enorme, e quando finalmente o clímax chega, ele não é nada satisfatório, pois como já disse, você já sabe o que vai acontecer desde a segunda página.

“Mudar seu jeito de ser por causa de um homem não é algo muito popular hoje em dia; certamente não é uma maneira independente de se encarar um relacionamento. Sacrificar seus valores no altar do amor já não serve como ideologia.”


A conclusão é nada se não ridícula, em uma segunda parte onde a autora se aprofunda um pouco mais na protagonista, onde então as coisas parecem que vão ficar interessantes, é desapontador, é mais do mesmo, é tudo aquilo que já vimos e a solução encontrada para deixar a protagonista “inocente” na situação é de dar risada de tão ruim, com quotes de sabedoria que deixariam Rei Salomão abismado como: “mesmo que você esqueça, não quer dizer que aquilo nunca aconteceu” (Ah-vah, é mesmo? Será que demorou muito para chegar nessa conclusão?).
Enfim, como disse no inicio Gillian Flynn pode seguir sua carreira sem problemas, A Mulher Silenciosa não se parece em nada com Garota Exemplar, a não ser pela sinopse, é mais um caso daquelas obras cheias de prometem ser O Sr. Livro e no final você acaba pensando que seria muito melhor ter ido assistir ao filme do Pelé.

NOTA: 1/5

4 comentários:

  1. Oi, Jason! Tudo bem? Eu até tinha vontade de ler esse livro, mas depois de ter lido algumas críticas parecidas com a sua, logo desisti de lê-lo. Melhor reler Garota Exemplar! <3

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Jason,
    por isso eu morro de medo de comprar livros com muitas chamadas e elogios na capa, a Intrínseca é mestre em fazer isso inclusive.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Detesto esses elogios e comparações na contracapa. Adorei a sua resenha, direto ao ponto. Não li o Garota Exemplar mas pirei com o filme, só imagino então como deve ser a obra!
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Geralmente, não me importo com comentários e comparações de crítica para ler algum livro, pois a impressão que dá muitas vezes é que estão tentando enganar o leitor só para vender mais, sabe?

    Não sei se você já assistiu, mas em Criminal minds por exemplo, já houve vários casos nos quais o assassino é mostrado logo de cara e aí apesar de não termos o elemento surpresa, vamos como é construída a história até conseguir captura-lo, de uma forma que vamos vendo o jogo quase de gato e rato até chegar o final. Dito isso, achei que poderia ser este o caso deste livro, quando comecei a ler seu post, mas pelo visto, me pareceu que a história não foi por este caminho... vou ler o garota exemplar então... xD

    Beijo
    http://entrechasecafes.blogspot.com/

    ResponderExcluir



ÚLTIMAS RESENHAS