[MOVIE REVIEW] CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL

| |

Sinopse: Depois dos eventos de Vingadores: A Era de Ultron, Capitão América: Guerra Civil encontra Steve Rogers liderando o recém formado grupo de Vingadores em seus esforços contínuos para proteger a humanidade. Mas após outro incidente, envolvendo os Vingadores, resultar em danos colaterais, aumenta a pressão política para instalar um sistema de responsabilização, comandado por uma agência do governo para supervisionar e dirigir a equipe. O novo status quo divide os Vingadores, resultando em duas frentes - uma liderada por Steve Rogers e seu desejo de que os Vingadores se mantenham livres para proteger a humanidade longe da interferência do governo, e a outra que segue a surpreendente decisão de Tony Stark de apoiar a responsabilização e supervisão do governo.


Em 2008 a Marvel lançou seu Homem de Ferro nos cinemas, e a partir de então o sucesso transformou a casa das ideias em um sucesso mundial, conseguindo com sucesso estabelecer um universo cinematográfico de forma tão bem executada que acabou por incentivar outros estúdios a fazer o mesmo (como a Warner está fazendo com a DC e pretende fazer com os filmes de monstro numa espécie de Liga Extraordinária 2.0), porém depois de tanto tempo a Marvel começa a demonstrar problemas já que a fórmula do sucesso começa a ficar enferrujada fazendo os filmes diminuírem muito a qualidade.
A Guerra Civil é um marco na história das HQs, mesmo tento acontecido a anos atrás, os efeitos dos acontecimentos podem ser vistos até hoje nas histórias da editora e os fãs ainda não chegaram a um consenso sobre quem está certo ou errado, mas se você está indo ao cinema para ver uma Guerra Civil que já te adianto que o filme não é nada disso.
Apesar de começar adaptando bem para o cinema a história (já que é impossível adaptar a HQ do jeito que é para os cinemas), logo no meio do filme a história já começa a desandar, ao tentar fazer um a continuação para Capitão América: Soldado Invernal, o roteiro começa a se atrapalhar e o resultado é uma bagunça sem muito sentido, algo que apenas se agrava com um vilão pessimamente inserido e tramas paralelas que não deveriam nem ter sido pensadas em ser inseridas (como a vingança do Pantera Negra ou a participação do Homem-Aranha).
Já para o final do filme a história da Guerra Civil se perde e o filme acaba sem que a Guerra tenha uma conclusão, se o filme fosse sobre o Soldado Invernal até seria aceitável isso, mas o título é bem claro: o tema central é a Guerra Civil, mas o que vemos na tela é outra coisa.


Não se tem lá grandes surpresas quanto as atuações, depois de anos com os mesmos personagens (que é o caso de Evans, Downey Jr. e Johansson) os atores já estão afiadíssimos nos personagens e suas atuações estão muito boas, Elizabeth Olsen também ganha mais destaque na trama e consegue muito bem interpretar a instável Feiticeira Escarlate, e é claro Chadwick Boseman é um Pantera Negra incrível que vai te deixar ansioso para ver logo o tão aguardado filme solo do personagem.
Outro ponto positivo do filme são as cenas de luta que foram muito bem filmadas e coreografadas, algo que a Marvel não vinha fazendo muito bem até então, e o resultado ficou muito bom.
Quanto a tão esperada e comentada participação do Homem-Aranha no filme, Tom Holland em pouco tempo mostrou potencial para se tornar o melhor intérprete do personagem até hoje, sua atuação é incrível e faz jus ao personagem mais importante da história Marvel, mas apesar de sua participação ser boa, ela é completamente dispensável, não acrescenta nada a história e o tempo utilizado poderia ser muito bem melhor aproveitado consertando alguns defeitos do roteiro.
Apesar de tudo, Guerra Civil ainda é um filme divertido e vai conseguir sim entreter quem assistir, só espero que os próximos lançamentos dessa fase 3 da Marvel se saia melhor do que o que estamos vendo até agora.

NOTA: 3/5


Nenhum comentário:

Postar um comentário



ÚLTIMAS RESENHAS